terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Sou luquinha por toda a vida



          Que o Ministério Universidades Renovadas é um orgulho para todos os luquinhas nós já sabemos, mas, se aprofundar na gênese deste ministério é algo sobrenatural!
          Em dezembro de 2012, durante o Encontro Estadual em Caxias-MA, fui presenteada com o livro Dai-lhes vós mesmos de comer, escrito por Ivna Sá dos Santos, umas das pioneiras do Ministério Universidades Renovadas. O presente foi uma premiação por ter tirado o primeiro lugar na amostra científica com o trabalho intitulado por São Luís do Maranhão: um olhar voltado para a compreensão das manifestações culturais do bumba-meu-boi.
          Estou há mais ou menos três anos dentro deste ministério, e confesso que nos momentos de maiores angustia eu fui carregada (inclusive no sentido literal) por este ministério que vive de fato o ser família anunciado por Cristo. Lendo este livro e refletindo cada palavra exposta pela Ivna, lágrimas caíam de meus olhos. Talvez tenha um pouco de exagero, uma vez que sempre fui muito emotiva, mas, como não chorar lendo este testemunho de anos e rememorando a cada momento as realidades vividas nesses três anos juntos aos luquinhas que fazem essa história real nos dias de hoje? Para mim, não há como não deixar de chorar e cantar que “lágrimas rolaram pra estarmos aqui e pra continuarmos o que pode vir...”. E o que pode vir nos dias de hoje? Eu preciso dizer que muito ainda será escrito ao longo do tempo, pois vivemos em um país continental que ainda não alcançou a total amplitude do sonho de amor anunciado no ano de 1990. Olha que aqui ressalto apenas o nosso país, imagine o que os demais países que vivem essa realidade também não têm a dizer sobre esta história que a cada dia se renova e ganha novas proporções?
Em cada capítulo deste livro, conseguia associar a realidade de antes com a realidade de hoje. A Ivna relatando as correrias para organizar o ENUCC’s, me fazia lembrar as nossas correrias aqui no Maranhão para organizar nosso I Acampamento, as nossas correrias em sinais de trânsitos para conseguir grana para as calouradas, as nossas correrias para juntar dinheiro e levar luquinhas para eventos em outros Estados e principalmente a nossa correria para vivermos o Bote Fé dentro da Instituição de Ensino Superior, a Universidade Federal do Maranhão. Sim, nunca ei de esquecer do dia em que Milena (coordenadora diocesana), junto com Dira e Eulina chegaram até mim dizendo que haviam sido recebidas pelo reitor e que este, não só disse sim ao ministério, mas revelou também o quanto ele amava a nossa Igreja, a sua Igreja. Desde então, sonhos se realizando e muito choro de todos que assim como eu, deixam as lágrimas rolarem de forma simples.
          Durante esses dias de leitura, intercalando o passado, com o presente e o futuro do MUR o Senhor, dentro da minha rotina de luquinha universitária queria revelar um pouco mais de si para mim. Hoje (07/01/2013), quando junto com mais três amigos me direcionava para o meu GOU Sopro de Deus, uma grande amiga minha do ministério partilhava comigo que nessa primeira semana do ano de 2013, havia descoberto que Deus é simples. Olha que incrível Ivna! Olha meus companheiros de GOU que incrível descoberta era partilhada a mim! Isso está o tempo inteiro bem claro no livro e eu ainda não tinha percebido que Deus é simples! E “somado a isso, Deus não faz em nós uma obra fragmentada. Ninguém é só profissional do Reino, mas é também filho, amigo, marido, mulher, pai e ‘mãe do Reino’”. Isso me faz lembrar que durante o ENUR-Brasília (eu estava lá, eu me converti ao MUR em Brasília!), Milena Mária falava que iria me acompanhar durante muito tempo, e foi assim. Hoje afirmo que se eu vivo, foi porque esses universitários cheios de parresia deixavam tudo, mais tudo mesmo para me socorrer. Eles, com minha família estiveram juntos de mim não só na alegria, mas também na doença, assim como a Ivna relata quando estava super mal no México. É, de fato Deus não faz em nós obras fragmentadas, e eu sou prova disso. Sou o artesanato sendo lapidado a cada momento por este ministério que visa construir um sonho de amor para o mundo.
          “Sonhar e crer em Deus, renovando nossas escolas, levar a todos a Palavra de Deus, unir a fé e a razão. Somos filhos de Deus, somos frutos do amor e da sabedoria divina”.

São Luís, 07/01/2013
Aline Xavier Bras

Nenhum comentário:

Postar um comentário